sábado, 5 de setembro de 2009

AO MESTRE CASQUINHA DA PORTELA

Dando seqüência à importantíssima e prazerosa maratona de entrevistas, O “butecólico” tem grande satisfação em apresentar o diálogo com o grande mestre Casquinha da Portela. Otto Enrique Trepte, de 86 anos, me recebeu na sua casa, em Bangu, na tarde do último domingo de agosto, onde mora com a filha Mônica, o genro Vanderson – sem eles, talvez fosse impossível a realização deste encontro -, além duas lindas netas.

Casquinha nasceu em 1922, no bairro de Ricardo de Albuquerque, foi aluno no Semi-internato Visconde de Mauá, em Marechal Hermes, mas foi em Oswaldo Cruz - depois em Madureira - que virou professor. Ele atribui sua chegada à Azul e Branco a Antônio Candeia Filho, na ocasião, seu parceiro somente de peladas e de farras. Posteriormente, o mesmo Candeia o chamou para a ala de compositores. Casquinha tinha sim algumas composições, mas foi obrigado a apresentar mais alguns sambas para que fosse aceito no seleto grupo. Candeia e Casquinha cantavam na caixa d’água da casa vizinha à Portelinha, quando eram importunados pelos moradores. Daí em diante, o rapaz bom de bola se tornou também um craque dos versos.

Dono de estrofes que cativam nomes como Zeca Pagodinho, Moacyr Luz, Mauro Diniz e Aldir Blanc. Casquinha tem presença de espírito, rapidez de raciocínio e um carisma que seduz a qualquer ser de bom coração e samba na veia. Saibam mais sobre a vida a trajetória de Casquinha da Portela
aqui.

Agradeço muito ao Vanderson e a Mônica pela confiança e pelos quitutes de primeira.

Acompanhem a conversa, onde este mestre da Velha Guarda da Portela nos canta alguns de seus sambas, registro que resolvi chamar de Existe o Canto da Sereia, em alusão ao samba inédito, que tenho certeza que será gravado.

P.S: peço desculpa pela baixíssima qualidade da filmagem, ocasionada pela falta da iluminação mínima necessária para realização do registro.


Inté.

10 comentários:

Daniel Rebelo disse...

Emocionante cara, uma história de vida maravilhosa. E o Gustavo Lins ainda se intitula sambista. Abraços etílicos.

VIVA O MARACUJÁ!!!

Rodrigo Nonno disse...

Gustavo quem ? Ahh ... o - eca!- gustavo lins ...

Caro amigo, é de emocionar mesmo.
Não dá para esquecer nunca momentos com este.

Inté

Zé do tamborim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zé do tamborim disse...

Essa música FOI GRAVADA PELO ARGEMIRO em seu último disco! A primeira é idêntica a que o Casquinha cantou, mas a segunda é diferente! Inclusive o nome da música não é esse... tá lá no último e único disco do Argemiro!!!

Rodrigo Nonno disse...

É verdade, caro Zé!

Escutei a música sim no disco do Argemiro Patricíonio, outro grande mestre.

No meu próximo encontro com Casquinha, vou lhe falar sobre isso, pois acredito que o mesmo nem saiba.

No disco de Argemiro, está como Noite de Verão, se não me engano.

Foi um prazer ler seu comentário aqui. Será uma honra , tê-lo como leitor deste blog. Aproveita e leia/assista a entrevista com Wilson das Neves e Domênico Aversa.

Forte abraço.

samba choro videos disse...

Caro Rodrigo:
Tenho um blog que divulga algumas coisas do samba - estou em Curitiba - em 2001 trouxe o Casquinha e o Cabelinho para cá. Depois do show fomos para uma panificadora e ficamos ate as 9 da manha - foram muitas historias, cervejas e nenhuma lembrança minha do que ele contou - mas muito engraçadas, estavamos em 9 ou 10 pessoas. Isto tudo para ver se posso roubar sua entrevista para o meu blog ... com os textos e o credito?
http://cimples-ocio.blogspot.com
Grato,
Anildo

Rodrigo Nonno disse...

Opa, Anildo!

É claro que pode, rapaz. Fique à vontade para postar lá o registro.

Poderia lhe pedir que colocasse citando O "butecólico"?

Neste sábado, me encotrarei novamente com o grande Casquinha, quando lhe mostrarei umas jóias que descobri dele com o Candeia.

Após a licença do mestre, as postarei aqui também.

Vou acessar seu blog, amigo.

p.s: se quiser, pode também usar a entrevista do Wilson das Neves.

Inté.

Pele de Gato disse...

Meu amigo tenho que lhe dizer que estou com inveja de vc (inveja boa) que coisa emocionante ver essa entrevista com o Casquinha, esse seu registro é histórico, parabéns.
Tb peço licença para colocar em meu Blog(peledegato.blogspot.com) essa maravilha. sitando seu blog e colocando os créditos para vc.
Um abraço

Rodrigo Nonno disse...

Opa, "Pele de Gato"!

Fico muito feliz que tenha gostado, rapaz. Estou sempre adiando a volta dos registros em meu blog, mas comentários como estes me animam.
Claro que pode postar este registro , e qualquer outro que queira em seu blog, fique à vontade. Ainda mais sabendo que o faz pelo amor que tens pelo samba e por nossas coisas populares.

É um prazer tê-lo por aqui. Me passa depois seu facebook e twitter, caso os tenha.

Forte abraço!

Rodrigo Nonno disse...

Depois, se quiseres, faça uso também das outras entrevistas, com o Wilson das Neves, Moacyr Luz, Renatinho Partideiro, ou o que mais quiseres ...

Abraço!